Será que vale a pena investir em conteúdos por áudio?

Emanuelle Porto

Sabemos que o consumo de áudio digital aumentou durante o isolamento social promovido pela Covid-19. Como uma alternativa ao vídeo, podcasts, audiolivros e streaming de músicas são alguns dos conteúdos mais consumidos atualmente, diante da comodidade e praticidade no acesso. 

 

A possibilidade de alcançar novos públicos abre caminhos para entrelaçar audiência e marcas, construindo uma relação entre elas por meio da publicidade. A tendência é que estejamos cada vez mais conectados por meio do áudio para nos comunicarmos, e o futuro pode estar mais próximo do que parece.

 

Conteúdo em áudio: o futuro do nosso consumo

 

Já ouviu falar na rede social que bombou em 2021, em que as buscas pelo App no Google saltaram 4.900% em apenas uma semana? O Clubhouse, exclusivo para iPhones e limitada a pessoas com convite, é uma rede social baseada na troca de conteúdos exclusivos em áudio em diversas salas de bate-papo e queridinho de diversas personalidades. Elon Musk, Caetano Veloso e até a apresentadora Oprah Winfrey são alguns dos famosos presentes na rede social. Os ambientes, definidos por temas, permitem espaços para se debater sobre variados assuntos. 

Ainda que os materiais em texto sejam uma das formas mais relevantes para a transmissão de informação na internet, o conteúdo em áudio vem ganhando espaço, conquistando uma audiência que prefere escutar enquanto consome algum tipo de conteúdo. 

São podcasts, posts narrados, streaming de músicas, audiobooks e narrativas gráficas sob uma nova perspectiva de consumo que caminha ao redor da nossa própria ressignificação do tempo.

O Spotify agora investirá em audiolivros

Em junho deste ano, o Spotify fez um anúncio: os executivos da plataforma comunicaram aos seus investidores que os audiolivros serão a sua próxima jogada — e seu novo pilar de negócios.

 

“Acreditamos que os audiolivros, em seus variados formatos, serão uma grande oportunidade”, afirmou Daniel Esk, CEO do Spotify. Lembrando que esse posicionamento ficou ainda mais evidente quando, no ano passado, foi anunciado pelo Spotify a aquisição da Findaway, plataforma líder de audiolivros.

 

Será que vale a pena investir em conteúdos por áudio?

 

Dados da Audio Publishers Association mostram o crescimento na produção de audiolivros: enquanto 6.200 foram produzidos nos Estados Unidos em 2010, esse número passou para 36.000 em 2015 e mais que dobrou em 2020, chegando a 71.500.

De acordo com a consultoria Grand View Research, o mercado norte-americano de audiolivros deve crescer a uma taxa anual de 26,4% de 2022 a 2023, alcançando o valor de US$ 35,05 bilhões até 2023. 

Sendo assim, podemos concluir que as perspectivas para esse mercado são excelentes, não é mesmo?

Um dos principais motivos que explica o crescimento do consumo de conteúdos por áudio é que o mercado dos audiolivros está envolvido com um público jovem e ocupado, que não tem tempo a perder.

As pessoas estão acostumadas a realizar várias atividades ao mesmo tempo. Ou seja, não há problema em dividir a atenção entre tarefas manuais e uma atividade que requer mais concentração, como ouvir conteúdo de áudio.

Quem nunca ouviu um podcast enquanto lavava a louça do almoço ou fazia a limpeza da casa? A diferença do áudio para o vídeo é que não é necessário olhar para a tela e dedicar uma atenção exclusiva ao conteúdo para entender o assunto.

E como será o consumo de áudio no futuro?

Se hoje o investimento em publicidade digital representa cerca de 30% da verba total de publicidade no Brasil, a perspectiva é que deve alcançar 50% em 2023, como já acontece em outros mercados, onde o investimento no digital já superou a mídia tradicional. 

Mesmo que seja mais desafiador, o áudio é um canal que abre portas para que os profissionais de Marketing explorem a criatividade e pensem em abordagens mais conectadas com o público-alvo.

A Humann é uma agência de comunicação que conecta criatividade com paixão, publicidade com inovação, tendência com tecnologia, conteúdo com inteligência e design com resultados. 

 

Conte conosco para criar conexões ainda mais humannas. Siga-nos no Instagram e no LinkedIn para não perder nenhum conteúdo!

Compartilhe esse artigo: